PASSADO, PRESENTE E FUTURO NO MUNDO DOS MAZAUNIN

0
14

O passado toca o futuro! O homem é a ponte que une o tempo! A História se interliga num fio interminável! Uma profecia antiga personifica a esperança! Cada povo realiza seu próprio destino! Ser diferentes nos torna iguais!

A história de Nahiyar e Yankin remete a um passado remoto em que os vários povos ainda começavam a se estabelecer no grande país. Aos poucos, o leitor irá descobrir personagens do passado e suas lições, suas influências, a forma como permanecem na memória coletiva, o modo como continuam a guiar os Mazaunin a partir de suas ideias, suas práticas, suas verdades.

O Mazaunin de Nahiyar é inquieto. Ele crê em suas origens e em seus profetas. Para construir o tão sonhado futuro, ele se agarra ao passado com tenacidade e devoção, porque acredita em sua própria história. Para os habitantes desse mundo dividido, o tempo parece ser diferente e ele se reconhece como a ponte que liga a esperança à realização. Para o Mazaunin, tudo é possível.

Ali, a História transcorre com a cumplicidade consciente e tranquila do povo. Eles sabem que o que deve vir, virá. Agarram-se às certezas ancestrais e persistem na esperança que moveu os antigos, que acalentou centenas e centenas de gerações. O Mazaunin crê. Isso, porém, não os faz indolentes nem omissos. Compreendem que a História requer ação concreta para que os objetivos sejam alcançados, para que os sonhos sejam realizados, para que as promessas se cumpram. Sabem que são os homens que fazem a História. Que a História é viva e pulsa no coração de cada Mazaunin. Que a História é um fio que só os homens desenrolam.

Todas as esperanças dos habitantes desse mundo fabuloso estão assentadas na profecia que foi dada ao povo na aurora dos tempos. A fé é algo que caracteriza os habitantes de Nahiyar e de Yankin de modo profundo, porque eles esperam pela promessa acima de todas as coisas. Não de forma passiva, como se poderia supor, pelo contrário. Esperam ativamente, porque se reconhecem parte da promessa.

Cada povo, cada Região, cada cultura vive a seu próprio modo, mas, unidos pela mesma esperança, aproximam-se. São diferentes, e são exatamente essas diferenças que os tornam iguais. Cada povo busca seu próprio destino, todavia, jamais se esquecem de que seus destinos estão entrelaçados e que não poderão fugir dele, embora possam moldá-lo e adaptá-lo a seus interesses.

É um mundo rico e fascinante! Para entrar nele, junte-se ao Clã!

Publique seu comentário

Leia também